ENSINANDO NUM CRUZEIRO
continuando - Parte XIV

Depois de toda a confusão com o Atobá , e aproveitando que o veleiro estava parado, tirei as medidas e fiz os cálculos.

Toda a tripulação ficou interessada no uso do sextante.
,

Ficamos boiando até que todos tirassem as medidas.



A utilização do sextante para determinar distância é um dos métodos muito precisos.

Posição com uma marcação e uma distância
Quando temos um só ponto notável podemos tirar uma posição utilizando-se de uma marcação e uma distância.

A marcação é tirada com uma a alidade (bússola de mão).

Mira-se a alidade no ponto notável e tira-se o ângulo do alinhamento, que é a Marcação Magnética (Mmg).

Mira-se a alidade no ponto notável e tira-se o angulo do alinhamento, que é a Marcação Magnética ( Mmg).

Como a declinação Magnética é tirada na carta (coluna-parteIII) obtemos a Marcação verdadeira (Mv), a qual é plotada na carta náutica.
   
Como a Declinação da região era

Dmg = 20° W
e a Mmg = 005° obtemos a Mv = 345°
Plotamos na carta




Falta então determinar a distância que estávamos da Ilha Montão de Trigo,
Nas cartas náuticas, são dadas a altura em relação ao nível do mar de todos os pontos notáveis , como faróis, picos de Ilha e Morros no continente.

No nosso caso temos a Ilha Montão de Trigo onde o topo tem a altura de 300 metros ao nível do mar
Pela relação trigonométrica, obtemos a formula que dá a distância que estamos da Ilha.

dados necessários :

h - a altura da ilha (tirado da carta náutica);
Ø - ângulo da visada

e podemos tirar a distância que o barco está da ilha

Note que a única medida que falta é do angulo de visada, e essa medida é tirada com o sextante.

Se medirmos o ângulo "Ø ", podemos com a relação trigonométrica acima obter a distância " d " que estamos do ponto notável.
COMO MEDIR O ÂNGULO VERTICAL?

O SEXTANTE, é um instrumento destinado a medir ângulos geográficos ou astronômicos.

A invenção do Sextante substituiu o antigo Astrolábio, que só permitia a medição de alturas astronômicas em terra firme; e ainda hoje, apesar do grande desenvolvimento da navegação oceânica, à base de ajudas eletrônicas, representa um instrumento indispensável à navegação e um elemento de segurança preventiva contra as falhas sempre possíveis da aparelhagem
eletrônica.


No desenho ao lado , temos um primeiro encontro com o sextante, mostrando como ele funciona para medir ângulos geográficos
.

A utilização do sextante para determinação do angulo vertical só é usada quando se vê a linha d'água ou a base do objeto.

Nesse caso são dispensáveis as correções devidas à refração atmosférica e curvatura da terra.

Não se deve fazer medidas quando se está á mais de 5 milhas do objeto notavel.

Para que fique mais fácil o entendimento vamos usar o nosso exemplo :

Como a altura da Ilha é de 300 metros de altitude e com o sextante medimos um ângulo vertical de 1°32,2' , portanto, com esses dados, podemos achar a distância a que estamos da Ilha. 
Utilizando uma calculadora:
Para utilizar a fórmula temos que transformar os minutos em décimos de graus e usamos a pela regra de tres

1° ---------- 60'
x ---------- 32,2'

x = 0,54°

1° 32,2' = 1,54°

tag (1,54° ) = 0,03
1 / tag = 33,33
substituindo na fórmula:

d = h.1 / tag = 300m. 33,33 = 9999,0 m

para transformar em milhas utilizamos outra regra de três
1M ----------- 1852m
x ----------- 9999,0 m
x = 5,4 M

d = 5,4 Milhas


Com essa distância , centrada no pico da Ilha, traço uma circunferência como na figuraao lado.

Tendo a distância e a marcação , plotamos na carta e onde se dá o cruzamento, é a nossa posição.

A aula prática acabou, mas continuavamos velejando........